Alterar tamanho da fonte:
Notícias
Resposta à comunicação social sobre o deslizamento de terras na Estrada de S. Francisco
Data de upload: 2022-09-15
  • Tipo: Nota de Imprensa
  • Data: 2022-09-15

Descrição:

DSSCU e DSOP

Actualmente, os taludes situados juntos nas colinas de Macau não estão todos registados no sistema de taludes com risco de derrocada, no entanto, os registados no sistema são determinados de acordo com o nível risco de derrocada. É de referir que, a referida secção inferior do troço (talude) da antiga muralha da cidade situa-se em lote do Governo e, o qual não apresentava risco de derrocada antes do deslizamento de terras, pelo que, o mesmo não se encontra registado no respectivo sistema.

Antes da execução de fundações por estacas da obra do Edifício de Doenças Transmissíveis, o antigo Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas (GDI) já tinha procedido à monitorização da antiga muralha da cidade localizada fora da área da construção, cujos trabalhos foram também comunicados ao Instituto Cultural (IC). Para além disso, ao iniciar a execução de fundações por estacas, foram construídos, de acordo com o projecto, de forma independente, muros de contenção no local da obra e, durante todo o processo, ou seja, desde o início, em 2018, até à conclusão, em 2020, das obras de fundações por estacas, não se verificaram grandes alterações nos dados da monitorização do local.

Relativamente aos empreendimentos privados, tendo em conta a dimensão da obra e o ambiente envolvente do estaleiro, a DSSCU solicita aos donos das obras que apresentem um plano de monitorização das vias envolventes e dos edifícios vizinhos. Assim, em Janeiro de 2022, o dono da obra aumentou os pontos de monitorização para a referida muralha que se encontra fora da área da construção, cujo plano foi implementado depois da aprovação do IC. 

A planta de alinhamento oficial de 2013 relativa ao lote privado não foi requerida pelo proprietário, conforme revelado na “Rede de informação cadastral”, mas foi emitida, oficiosamente, pela antiga DSSOPT por pretender aumentar os encargos especiais do lote, nomeadamente a construção de passagens superiores para peões, etc..

Subscrever